Campeã das cirurgias plásticas – é o procedimento mais feito pelas brasileiras -, a lipoaspiração conquista cada vez mais adeptas, tornando-se acessível também para mulheres com pouco dinheiro, mas que buscam uma forma física perfeita.

A popularização dessa cirurgia, contudo, motivou o surgimento de clínicas com infraestrutura precária, onde as pacientes enfrentam muitos riscos.
No final de janeiro, a recepcionista Regiane Aparecida Bauer, de 27 anos, morreu após uma parada cardiorrespiratória durante a operação numa clínica da zona leste de São Paulo.
Conforme levantamento realizado entre 2001 e 2008 pelo Conselho Regional de Medicina (Cremesp), a lipo ocupa o topo do ranking de processos que investigam problemas decorrentes de cirurgias e até a morte de pacientes na mesa de operaçâo.
De 289 processos movidos contra médicos da área estética, 33,5% referem-se à lipoaspiração. Entenda em que casos a lipo é indicada e saiba como escolher um local que não oferece risco à sua saúde.